Você sabia que grande parte das nossas decisões de compra são tomadas no subconsciente? Entenda o que realmente influencia no processo de decisão e tudo sobre o neuromarketing: a ciência que estuda o comportamento humano diante das preferências de compra.

Existem várias teorias sobre o que leva as pessoas a comprarem determinados produtos. A verdade é que não existe um consenso e nem deveria existir. São inúmeros fatores que influenciam a tomada de decisão e entender cada um deles se tornou algo extremamente importante para uma empresa. Com esse conhecimento é possível planejar estratégias muito mais assertivas para atingir a persona.

Fatores como o preço, qualidade do produto ou canais de venda podem sim explicar preferências de consumidores, mas são explicações muito subjetivas: depende muito de quem está comprando, do produto em si, de onde o cliente está inserido, dentre outros diversos fatores que dificilmente conseguem nos dar alguma conclusão concreta.

Diante disso, surge uma ciência que busca estudar o comportamento humano em relação às decisões de compra. O nome dela é Neuromarketing.

O que é neuromarketing?

Primeiramente é importante ressaltar que, diferente do que muitos pensam, o neuromarketing não é uma estratégia de marketing. É claro que a partir dos dados obtidos podem ser criadas diversas estratégias para vender mais.

Neuromarketing vem da mistura entre neurociência e marketing e é uma ciência que estuda os fatores que determinam as decisões de compra.

O responsável por colocar em prática essa ciência foi um pesquisador de Havard, Dr Gerald Zaltman, que começou a usar equipamentos de ressonância magnética para entender o comportamento do cérebro humano em relação aos estímulos de marketing.

Ficou claro que as decisões mercadológicas muitas vezes são tomadas inconscientemente. Cores, símbolos e até mensagens subliminares ativam diferentes áreas do cérebro que estimulam a compra.

Como o neuromarketing funciona na prática?

Como grande parte do processo de decisão de compra ocorre no subconsciente do comprador, pode não ser eficiente apenas perguntar a ele qual produto ele prefere. A resposta poderia ser pouco precisa.

Utilizando os métodos da neurociência, é possível escanear o cérebro humano e acessar uma área mais profunda, a qual fornecerá as respostas para esse tipo de pergunta. Dessa forma você consegue mais do que a opinião (racional) da pessoa.

Em um exemplo prático, imagine que você esteja em dúvida se deve criar uma logo verde ou vermelha. Aplicando o neuromarketing ao apresentar as duas cores para um possível cliente, é possível observar suas atividades cerebrais, ou seja, você pode ser muito mais assertivo na escolha ao obter a informação real de preferência desse consumidor.

Como o neuromarketing pode ajudar no seu negócio?

Você não precisa investir em pesquisas caras para descobrir a reação das pessoas diante das diferentes opções. Existem inúmeras descobertas acessíveis a todos e que podem ser bastante interessantes para o seu negócio.

De qualquer forma, separamos algumas dicas que podem ser relevantes para você:

1.Psicologia das cores

As cores e nossas emoções no neuromarketing - foto by Pixabay

Cada cor afeta nossas emoções de uma maneira diferente e escolher bem a cor da sua logo, postagens, landing pagen call to action, etc, pode ser uma ótima estratégia de marketing.

Pesquise sobre como cada uma das cores interferem nas decisões e tenha sempre em mente qual a emoção você quer despertar no seu público.

2.Imagens funcionam melhor que texto

Se você quer que sua mensagem ganhe destaque utilize imagens. Se for imagens do próprio produto, melhor ainda. Outra forma legal é produzir vídeos ou imagens que explicam a sua solução de forma clara.

Nós normalmente sintetizamos melhor conteúdos visuais do que textos e é por isso que canais essencialmente visuais, como Instagram e Youtube, influenciam as pessoas tão rápido.

3.Gatilhos mentais

A utilização de gatilhos mentais constitui uma das principais técnicas de copywriting. Esses gatilhos são usados para criar a necessidade de compra no consumidor. Alguns exemplos mais comuns são: escassez, urgência, Prova social e autoridade. Se você quer saber mais sobre estratégias de copywriting, não deixe de ler “Copy: Veja porque é importante para vender mais

Ficou mais claro para você o conceito de neuromarketing? Não deixe de se inscrever abaixo e acompanhar outras dicas essenciais para o seu negócio. Aqui no Blog do Painel você tem tudo sobre estratégias de marketing digital para transformar a sua empresa e vender cada vez mais.

Até a próxima!